Tuesday, December 30, 2008

Fogos, risos e brinde de champagne!

O ano, literalmente, vem chegando ao seu fim. Mais um dia e estaremos em 2009. Nova vida? Promessas? Arrependimentos? Aprendizado? É nesse momento em que fazemos o balanço de tudo o que aconteceu durante os últimos 365 dias. Bate o peso na consciência por determinadas atitudes, o sorriso de satisfação pelo aprendizado adquirido, a tristeza pela perda de pessoas e coisas e, principalmente, a sensação de dever cumprido mais uma vez.

Reformas materiais trouxeram reformas mentais, fazendo-me jogar no lixo o que me fazia mal. Deixo espaço hoje para o que me deixa saudável. Não só em termo de saúde (cigarro é uma merda), mas psicologicamente falando. Percebi que algumas pessoas se tornam importantes pra você, mas que talvez não mereçam tanta importância, já que não dão a mínima para você ou o que você sente. E, se não dão adeus, você dá por elas.

Percebi que quando você mais deseja uma coisa, fica mais difícil de acontecer. E, de repente, inesperadamente, quando você está sossegado, algo acontece. Assim, sem querer, você acaba tornando-se alguém até então desconhecido. Passa a dedicar, a preservar, a manter a cabeça no lugar para que as coisas fluam como devem. Decidi, pelo meu próprio bem, a ter auto-controle para que tudo tenha seu tempo para acontecer.

Tive a sensação de se estar em um primeiro lugar pela primeira vez na vida. Da melhor forma que poderia ter acontecido: pelas palavras. Senti tesão, êxtase e adrenalina tomando conta de meu corpo ao ver o fruto da minha inspiração ao acesso de todos. Com isso, a consciência de que eu posso sim, um dia, colocar em papel tudo aquilo que adormece dentro da minha cabeça, sem ainda ter conseguido sair.

Vi a compaixão e o amor nascer em poucas palavras. E sentir-se importante para as pessoas acaba me fazendo sentir-me importante para mim mesmo. Me coloquei em situações ridículas, expondo-me mais do que deveria e tentando me esconder do resto do mundo. Sem saber que esteja onde eu estiver não vou conseguir me esconder.

De qualquer forma, me arrisquei, botei a cara a tapa, e resolvi enfrentar os olhares de reprovação com a cabeça erguida e passo firme. Dessa forma, 2008 talvez tenha sido o ano onde mais me senti livre. E não guardo expectativas para o ano que vem chegando. Chega de fazer planos, de se programar o tempo inteiro. Vou deixar as coisas acontecerem da forma como devem acontecer. E assim vou levando. Feliz Ano Novo para vocês que ainda entram aqui. E a gente se vê ano que vem.

EU

decido a quem interessa minha vida.

Sunday, December 28, 2008

por dentro

desculpe-me por minhas tolices. elas vêm devagar e invadem como furacões.
o começo de qualquer coisa envolve várias abdicações. deixar de ir a certos lugares, conhecer certas pessoas e falar certas coisas. ao mesmo tempo em que faz bem, dói um pouco, pois não se sabe ao certo se o que o futuro reserva vai valer à pena. como disse várias outras vezes, só se descobre arriscando. assim, seja a favor ou contra sua vontade, você vai saber se será feliz ou não.

Sempre me assustou o fato de não saber o que poderia acontecer no dia seguinte. Acordar arrependido, sem querer sair do quarto. Sempre odiei a forma como lido com determinadas coisas. A passividade que me ronda talvez não me faça bem, talvez seja um atraso na minha vida e na vida de muitas pessoas, que acham que sempre serei o cara do 'sim'.

Às vezes dói, machuca, mas faz parte da vida sentir essas coisas. Conforme o tempo passa você vai aprendendo o que envolve seu auto-controle. Ame, divirta-se, aproveite cada momento com cada pessoa que faz parte da sua vida. Para que, amanhã, não se arrependa de não ter feito isso.

Friday, December 26, 2008

pós

Como tantas outras vezes, aquele dia 26 de dezembro não contava com as mesmas alegrias vividas quando Jorge ainda era uma criança. Papai Noel não existia mais, nem ganhava mais presentes de todos aqueles parentes que frequentavam sua casa nas festas de fim de ano. Acabara de completar 20 anos. Sua avó morrera há 10, seus irmãos não se falavam direito há quase 2. Era incrível como, para ele, a contagem de minutos, horas, dias, meses e anos era algo quase que constante. E a graça do Natal tinha ido por água abaixo. Lembrava das festas passadas, da cantoria até de manhã, dos CDs bregas, das bebedeiras dos parentes, banhos de piscina. Sentia saudade. Nada era como antes. Sentia-se como um peixe fora d'agua, impotente, com a necessidade de juntar todo mundo, mas sem conseguir. E aquele fim de ano nem parecia fim de ano. Os feriados eram meros domingos, antecedidos pela farra do sábado. Era sexta-feira, e já havia se programado até o próximo ano, mais precisamente, como todo virginiano preparado, até o dia dois de janeiro. O que talvez não fizesse muita diferença, afinal dependia de algumas outras coisas. E lá ia ele para uma festa de confraternização, um casamento, e um hotel. Talvez certas coisas devessem ser inusitadas.

Thursday, December 25, 2008

Feliz Natal

ou feliz presentes, hipocrisia e tristeza.


ainda assim, o meu foi ótimo. x)

Tuesday, December 23, 2008

madrugada

- não fique chateado.
- talvez eu devesse ficar, mas isso importaria agora? isso traria alguma solução?
- não sei.
- não, não solucionaria nada. eu não sou criança, que pega o pirulito e diz que é só dela. eu cresci, talvez ainda não tanto quanto você, mas aprendi muita coisa nos últimos três anos.
- eu estou sendo sincero com você.
- eu também. eu entendo. e eu sabia disso.
- como você sabia?
- porque três anos não são três dias. e eu sei que não é fácil. talvez você me ache muito condescendente por isso, mas não é assim. a questão é saber entender certas coisas que acontecem em nossas vidas, e eu entendo.
- você é legal, sabia? é legal estar com você.
- eu sei, sou uma pessoa agradabilíssima.
- e modesto...
- gosto de brincar com essas coisas. sou assim. e gosto de arriscar. se não fizer isso, empaco a vida inteira pensando que posso sofrer, pensando no que o futuro guarda pra mim.
- isso é verdade.
- a vida segue, sabe? a fila anda. se for pra ser, será. mas por isso vamos deixar de aproveitar o momento?
- não.
- é justamente isso que eu queria te dizer.

Saturday, December 20, 2008

sms

era como naquelas tardes de domingo, onde a pouca movimentação urbana permite que se ouça o canto dos pássaros, que Álvaro se sentia naquele sábado, pouco antes do sol dar o ar de sua graça no céu ainda escuro. que reação era aquela, tão energizante e tão entorpecente, que se aponderava dele? imaginava que aqueles beijos e mãos seriam apenas mais um como todas as outras vezes. mas não. dessa vez sentia-se diferente. explodiam sorrisos de seu corpo, como um garoto quando ganha um presente. fazia pouco mais de um mês que sua vida mudara completamente de rumo e ele havia se permitido curtir o máximo possível. e, de repente, via em seu corpo o desejo ardente de permanecer ali para sempre. era incrível como aquela primeira vez tinha tomado conta dele de uma forma que ele não a deixaria ser apenas uma primeira vez como tantas outras vezes. teria uma segunda, uma terceira, enfim, algumas outras vezes. e, quando já perdera as contas dos dias, foi submetido à pergunta mais surpreendente em meses: namora comigo?

Thursday, December 18, 2008

no dictionary

é como quando se dorme: seu corpo fica estático, mas seu espírito passeia pelos sonhos. só que acontece quando você está acordado: o pensamento a aproximadamente quatro mil quilômetros de distância. e a única coisa que acontece com sua forma física é aquilo que não tem definição, tradução ou qualquer outra atribuição que não apenas seu nome: saudade.

ter que esperar

me acorde e depois se vá
deixa eu te reparar
como uma invasão

chicas

Tuesday, December 16, 2008

teorias

algumas pessoas acham que o seu passado foi melhor do que será o futuro. mal sabem elas que o maior desejo do futuro, para o presente, é ser melhor do que o passado foi.

Monday, December 15, 2008

temporal

além de sentir-se feliz, cai uma chuva que traz a lavagem da alma, completando a sensação de bem-estar.

sensação

borboletas no estômago:
saem pela boca em formato de sorriso.

Sunday, December 14, 2008

do aeroporto

vai,
mas volta.
falta,
por 240 horas.
sentido,
não há.
se tiver
razão,
mais
emoção.
ter você
aqui
sem saber
o que fazer.
o novo,
a experiência.
só querer
uma chance
pra provar
que pode ser
melhor.
Posso?

sem controle

me pediram para ir com calma.
eu ouvi, mas o coração não.
e agora, o que eu faço?

Wednesday, December 10, 2008

closer

o pensamento traz um frio na barriga, alimentando algo incerto que pode estar por vir. existe, então, a dificuldade em descobrir se as palavras são verdadeiras, ou meramente meios de se conseguir aquilo que se quer. como saber? arriscando-se. a verdadeira essência da descoberta é essa: arriscar. de qualquer forma, bem vindos ao mundo adulto. aquele pelo qual você tanto ansiou e de repente ficou com medo de encarar.

me deixa que hoje eu to de bobeira

hoje eu desafio o mundo sem sair da minha casa
hoje eu sou um homem mais sincero e mais justo comigo

podem os homens vir
que não vão me abalar
os cães farejam o medo
logo não vão me encontrar

não se trata de coragem
meus olhos estão distantes
se camuflam na paisagem
dando tempo pra cantar

me deixa - o rappa (na versão das chicas)

de ontem

bem, antes da sexta vem a quinta, antes da quinta vem a quarta, e antes da quarta vem terça, aliás, hoje!

Monday, December 08, 2008

deja vu

aquela mesma sensação se repete mais uma vez. quando se menos espera, ela aparece.

um dia eu volto!

em um ano você consegue se apaixonar por algo, a ponto de chorar exaustivamente quando sabe que vai acabar. pessoas, papéis, fitas e canetas deixadas para trás. quatro dias para despedidas. uma vida inteira para lembrar.

virgo

Esta semana não será muito fácil a você virgem, que será pressionado severamente para fazer escolhas definitivas para a construção de seu novo caminho em 2009. Procure usar de discernimento, não se altere e nem deixe a adrenalina subir. Mantenha a razão.



as vezes me surpreendo com o que eles dizem.

Sunday, December 07, 2008

'palavras de um futuro bom'

os lados opostos, positivo e negativo, respectivamente, significam aquilo que você fala e aquilo que os outros falam. então qual deles importa? aquele que você quiser acreditar. só depende disso.

Saturday, December 06, 2008

Friday, December 05, 2008

2008

janeiro
fevereiro
março
abril
maio
junho
julho
agosto
setembro
outubro
novembro
dezembro ainda é invisível. não sabe qual cor terá.

eu já sabia!

um sorriso metálico chama a atenção e torna as pessoas atraentes.

Tuesday, December 02, 2008

eu sou quase um gato

(...)

Me diziam todo momento
Fique em casa, não tome vento
Mas é duro ficar na sua
Quando à luz da lua
Tantos gatos pela rua
Toda a noite vão cantando assim

Nós, gatos, já nascemos pobres
Porém, já nascemos livres
Senhor, senhora, senhorio
Felino, não reconhecerás

(...)

Por causa da cantoria
Mas agora o meu dia-a-dia
É no meio da gataria
Pela rua virando lata
Eu sou mais eu, mais gato
Numa louca serenata

história de uma gata - bando de maria

Monday, December 01, 2008