Friday, May 29, 2009

te liga!

era um fim de tarde cor-de-rosa, com tons pastéis e um pouco de laranja e amarelo. daqueles que praticamente só se vê em filmes água-com-açúcar. álvaro sorria, sentado na beira da estrada, admirando-o. pela primeira vez sentia-se em um estado de espírito acima de qualquer um que já houvesse experimentado. "que vista" pensava ele, quando um caminhão descontrolado o acertou em cheio.

luíza chegou do trabalho feliz da vida pela promoção que acabara de receber. tinha combinado com as amigas de sair para comemorar. foi até o banheiro, ligou o chuveiro e deixou a água quente amenizar o ambiente. colocou o pé dentro da banheira e, tentanto apoiar-se, escorregou e bateu a cabeça, ficando instantaneamente sem vida.

carlos já tinha perdido tudo na vida. emprego, amigos e namorada. depois da tormenta, jogou na loteria e ganhou, sozinho, um prêmio que o manteria rico eternamente. resolveu viajar e conhecer uma parte do mundo. à caminho de Paris, alguns problemas nas turbinas do avião fizeram com que o mesmo caísse a toda velocidade dentro do oceano, matando todos os passageiros e a tripulação.

-

qualquer hora pode ser a hora. não vejam isso como tragédias. aproveite o agora, porque até mesmo hoje você pode morrer.

cérebro

pelo que bem me conheço minha inspiração não está tão próxima à nota 10 como um ano atrás.

Thursday, May 28, 2009

cabeça

fingir-se cego. fingir-se mudo. fingir-se surdo. certas deficiências, mesmo que por mero fingimento, são extremamente necessárias às vezes. pelo próprio bem do corpo e da mente. amém.

Wednesday, May 20, 2009

mudar. medar. meda. medo.

quebrar a rotina. desacostumar. algo difícil de lidar, de administrar. mas necessário. cair na rotina estraga. a vida inteira mesmo. acordar, tomar café, trabalhar, almoçar, trabalhar mais, ir pra aula, ir pra casa e dormir. e acaba o dia. e onde fica o inesperado, o entusiasmo de não seguir sempre o mesmo padrão de vida?

deixei isso de lado, cortei fora dos meus dias o espaço reservado para as surpresas. mas caí na real a tempo de mudar e fazer diferente. mudar. palavrinha que carrega em seu conceito o sentimento de medo. mudar. medar. meda. medo. é mais ou menos isso. mas imprescindível para felicidade de espírito. correr riscos, sabe?

Monday, May 18, 2009

corre nas veias

é trinta e cinco. quinze a mais. é meu prazo para equiparar-me ou ser melhor. prazo extendido, diga-se de passagem. na real é só dez mesmo.

constando

eu já fui algo que hoje não sou. e hoje, talvez, eu seja algo que um dia quis ser.

Saturday, May 16, 2009

...

felicidade é um estado de espírito. não uma condição de vida; condição de vida mesmo é saber viver. e, bem, para viver mesmo e intensamente não se deve ser feliz o tempo inteiro.

Friday, May 15, 2009

auto (?) ajuda

não espere o amor de todos; ame a si mesmo primeiramente. não espere uma mão para te puxar do poço fundo; aprenda a escalar paredes retas. não crie expectativas achando que tudo será pra sempre; até a vida tem prazo de validade. não apenas almeje ter um bom futuro; o faça. não julgue sentimentos alheios se não os conhece; já há equívoco demais no mundo para desconfiar daquilo que é verdadeiro. não busque sua felicidade tirando a de outra pessoa; completem-se. e, sempre que for criticar alguém, pense sempre que você já passou por isso ou que ainda pode passar. todos estão sujeitos a situações diversas que só entenderão quando estiverem no mesmo lugar. é fato, eu garanto.

dos comentários

não como regra: as vezes precisamos cuidar daquilo que é de fora para que nos faça bem por dentro. sendo assim, escale a montanha. quem sabe lá em cima você não encontra a resposta?

Thursday, May 14, 2009

da independência

bem dito que as vezes é necessário dar um passo para trás quando se quer andar dois para frente.

Wednesday, May 13, 2009

nu e cru

É preciso fazer todo o mal de uma só vez a fim de que, provado em menos tempo, pareça menos amargo, e o bem pouco a pouco, a fim de que seja mais bem saboreado.
Maquiavel

Wednesday, May 06, 2009

do pensamento

-sinto como se estivesse sumindo da paisagem.
-...
-caralho, eu estou mesmo!
-...agora te preocupas?
-já diziam os engenheiros daquela ilha que o preço que se paga as vezes é alto demais.
-agora que percebe isso?
-isso me foi perceptível antes mesmo de acontecer.
-e porque não fez nada pra mudar?
-primeiro porque eu sou assim. segundo que eu resolvi deixar a coisa rolar, sabe?
-ah, arriscando né?
-isso.
-é, eu sempre gostei disso em você.
-então você me compreende?
-até certo ponto sim. até o ponto de: sua felicidade está completa dessa forma?
-bem, estou tentando fazer dar certo dessa vez.
-preocupe-se com sua felicidade, meu caro. se você está feliz dessa forma, quem se importa haverá de compreender.
-mas eu os compreendo também. eles se importam, eu sei.
-então eles vão entender que distância não significa o oposto de sentimento. ah, e você nem está distante. só não está a vista.
-convenhamos que é quase a mesma coisa.
-e. mas... sabe? eu não reclamo não. a gente pode passar anos sem se ver. eu sei que o reencontro vai ser sempre como se estivéssemos nos visto há apenas um dia. eu gosto de você rapazinho. te carrego pra sempre. pra todo o sempre comigo.
-você sabe que é algo recíproco, não é?
-eu sinto.
-então tá. tá tudo bem?
-tá sim. você sempre me deixa melhor, mesmo sem perceber.
sorriso bobo
-bom, então vou pra minha aula tá? a ufac me deixa louca.
eu sei que isso não aconteceu. mas, bom, você sabe que eu adoro imaginar.